À ESPERA...


A tristeza dilacera minha vida
No cerne, uma alma desiludida
Sangra minhas cicatrizes
Afoga minha história, minhas raízes

Sem forças, meu corpo padece
Rainha de si, a tristeza se enaltece
Invade minha consciência
Sou somente ausência

Minha alegria está sufocada
Presa, destroçada
Cega, não enxerga saída
Deixo-me ao relento caída

Prefiro ficar ao relento
A ter que encarar a porta
Que me leva para dentro
Deste sufoco que me corta

Fecho-me, saboto-me
Ando por caminhos vazios
Não quero encontrar nada
Apenas quero ser encontrada...


Copyright © 2012 - Todos os Direitos Reservados à Marcela Re Ribeiro - Reprodução Proibida

LIVROS DA AUTORA

​SIGA-ME

  • Facebook Classic
  • Instagram ícone social
  • LinkedIn ícone social
  • Twitter Classic
  • c-youtube

© 2018 Todos os Direitos Reservados à Marcela Re Ribeiro